Perspectiva

Hoje ouvi um pequeno trecho de uma entrevista com o Todd White que explica exatamente a perspectiva que enxergo.

A cruz não é a revelação do meu pecado, mas a revelação do meu valor. Só se paga um alto preço por algo que se tem valor. Exemplo, não pagamos 300 mil por um corte de cabelo, mas pagamos por um apartamento. Ou seja, o pagamento revela o valor de algo. Se Jesus teve que pagar um preço tão alto, é porque o meu valor é alto. Deus me quer e Ele escolheu o meu valor!

Por isso declaro o Salmo 18 de Davi como se fosse meu:

“O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus é o meu rochedo, em quem me refugio. Ele é o meu escudo e o poder que me salva, a minha torre alta”

Advertisements

Boca fechada não entra mosquito

Muitas coisas aprendemos em provérbios e se formos espertos, observamos nossos pontos de gargalo e meditamos como sábios ao invés de tolos.

Sempre fui bocuda e queixo duro, do tipo que não leva desaforo pra casa. Com a desculpa de dizer a verdade, ofendia. Aí vocês podem pensar: “verdade é verdade” e eu digo “VERDADE” (risos), mas a duras penas e muitas vezes com o coração ofendido tenho aprendido que nem toda verdade é pra ser dita ou precisa ser dita, aprendi também que a verdade dita no momento certo tem mais efetividade do que a verdade fora de hora.

Salomão diz assim no livro de Provérbios:

“A palavra proferida no tempo certo é como frutas de ouro incrustadas numa escultura de prata. Como brinco de ouro e enfeite de ouro fino é a repreensão dada com sabedoria a quem se dispõe a ouvir” (Pv 25:11-12)

Outra coisa que tenho aprendido é que a verdade dita em amor e não no solavanco derruba muros ao invés de erguer. Com o tempo percebi que a maneira como comunicava erguia muros tão altos entre mim e quem estava ouvindo que nem metade da conversa chegava aos ouvidos, batia e voltava. E isso também aprendi com Salomão.

“Com muita paciência pode-se converter a autoridade, e a língua branda quebra até os ossos” (Pv 25:15)

E por último, percebi que tudo isso depende de uma única coisa, que aliás é difícil pra caramba, o DOMÍNIO PRÓPRIO. Dominar-se é uma arte e está ligado a todo o nosso corpo, principalmente a língua.

Essa tem sido uma caminhada de exercícios duros. Sempre acerto? Óbvio que não, mas com a graça de Jesus, levanto e ao invés de lamentar, sigo buscando derrubar muros ao invés de ergue-los.

“Como a cidade com seus muros derrubados, assim é quem não sabe dominar-se” (Pv 25:28)

Na dúvida tenha em mente que BOCA FECHADA NÃO ENTRA MOSQUITO

Cristo vive em mim

Marcos 8:33-38

“Aí Jesus chamou a multidão e os discípulos e disse:

— Se alguém quer ser meu seguidor, que esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. 35 Pois quem põe os seus próprios interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa e por causa do evangelho terá a vida verdadeira.36 O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, mas perder a vida verdadeira? 37 Pois não há nada que poderá pagar para ter de volta essa vida. 38 Portanto, se nesta época de incredulidade e maldade alguém tiver vergonha de mim e dos meus ensinamentos, então o Filho do Homem, quando vier na glória do seu Pai com os santos anjos, também terá vergonha dessa pessoa.”

Enquanto conversava com uma pessoa sobre o texto de Marcos 8, pensei como poderia explicar o que significa viver uma vida em Cristo. But first things first, como cristã creio que quando temos um encontro com Jesus as coisas não ficam mais as mesmas, recebemos o Espírito Santo e esse nos capacita a uma nova vida.

Explico assim, imagine que você, por algum motivo, precisou receber uma nova identidade. Já assistiu filmes em que o FBI arruma uma nova identidade para quem precisa ser protegido? Pois é, imagina que você é essa pessoa que recebe tudo novo, uma identidade nova, uma genealogia nova, um lugar novo, uma história nova. Aí eles te proíbem de ter contato com qualquer pessoa ou coisa que te remeta a vida antiga, porque isso pode causar a sua morte. Quem tem que morrer é a vida antiga e não você, essa é a ideia quando alguém recebe proteção.

Com Jesus é a mesma coisa, quando morremos para nós e nascemos para ele, ou seja, quando decidimos ser seus seguidores, significa que viveremos a vida dele, morremos para o pecado e ressuscitamos para a vida. Quando recebemos sua vida, recebemos uma nova identidade, uma nova vida, uma nova filiação, a nossa vida antiga não deve exercer, ou pelo menos não deveria exercer, nenhuma influência sobre nós. Vemos isso no texto de Romanos 6:

“4Assim, quando fomos batizados, fomos sepultados com ele por termos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova. 5Pois, se fomos unidos com ele por uma morte igual à dele, assim também seremos unidos com ele por uma ressurreição igual à dele. 6Pois sabemos que a nossa velha natureza pecadora já foi morta com Cristo na cruz a fim de que o nosso eu pecador fosse morto, e assim não sejamos mais escravos do pecado. 7Pois quem morre fica livre do poder do pecado.” (grifo meu!)

Portanto, se você recebeu uma nova vida, mas vive em função da sua velha vida, algo está errado, muito errado. Devemos buscar a vida e não a morte, buscamos vida quando buscamos Jesus, buscamos a morte quando buscamos satisfazer os nossos próprios desejos. Nossa natureza não é mais o pecado, mas sim a vida, porque Cristo é quem vive em nós, então porque viver em função do eu pecador e não da aliança com Cristo?

Faça a pergunta a si mesmo, quanto tenho visitado minha velha natureza, o quanto isso tem exercido força na minha vida? Peça para que o Espírito Santo se revele a você e que na graça concedida a nós, você receba a liberdade pela qual Jesus te libertou e viva pela vida que ele te deu.

20 Anos de Casado

No dia 4 de outubro de 2016, eu e meu marido completamos 20 anos de casados, eu disse 20 anos!!!!
Nesses anos, enquanto andávamos pelo caminho, aprendi muitas coisas, dentre elas as básicas, como ser mãe, esposa e eu mesma!
Quem nos conhece há tempos, pode nos olhar com desconfiança porque a trajetória de fato não foi fácil, mas os que nos conheceram nos dias atuais podem nos olhar quase que com olhar de contos de fadas rsrsrs Nem um e nem outro, acredite!
Mas nesse processo chamado 20 anos, enquanto muitas vezes achava que Deus tinha puxado meu tapete, aprendi que no silêncio e na resiliência o Pai chega mais perto. Em muitos momentos, mesmo desconfiando de mim mesma e do amor de Deus, fiz o que Ele me pedia e minha recompensa veio. Me encontrei com o Amor do Pai nesse processo e isso me permitiu amar meu marido e a mim mesma além de mim.
Descobri que tudo o que fez e faz parte do meu casamento me treinou para ser quem sou hoje e sabe que eu gosto muito!
Posso falar sobre a precocidade da maternidade, ensinar que para tudo tem seu tempo, apressar só nos faz correr ao invés de caminhar. Hoje Deus me afirma como mãe exemplar, não porque não erro, mas pq sei onde buscar socorro e aprendi que as alianças que fizemos com Deus são reais.
Com as dificuldades e falta de responsabilidade financeira aprendemos que 2+2 são 4 e que se tivemos algo quando não podíamos, hoje que podemos talvez seja tempo de não ter.
Com a quebra da confiança aprendemos a conversar, a nos vulnerabilizar e a reconstruir.
Aprendi sobre generosidade porque meu marido é um exemplo, em tempos em que ele tinha ou mesmo quando não tinha nada a oferecer.
Nessa caminhada toda, nesses 20 anos, nos tornamos outras pessoas, porque encontramos em Deus o amor e a satisfação que buscávamos um no outro. Entendemos quem cada um era. Entendi que para meu marido ser bem sucedido ele precisa de afirmação, encorajamento, admiração, apoio e o reconhecimento da pessoa maravilhosa que Deus projetou. São tantas qualidades!
Aprendi a enxerga-lo sem rótulos e a ama-lo “profeticamente”, de acordo com o que o Pai vê nele.
Vinte anos é muito tempo e ao mesmo tempo, pouco tempo porque queremos viver mais uns par de 20.
Queremos envelhecer como casal, sabendo que somos relevantes e que de alguma forma nossa história inspira outros. Histórias cheia de sucessos e de fracassos.
Nós celebramos essa data e nos renovamos com o compromisso de buscar em Deus a peça que encaixa perfeitamente no quebra cabeça que é viver um relacionamento familiar.
Amo vc amor.
Ro

Generosidade – Assunto recorrente

Há quem diga que a versão bíblica “A Mensagem” não é boa, eu particularmente sempre li e leio algumas versões como Atualizada, NVI, NTLH e há algum tempo inclui A Mensagem. Acho fantástica a maneira que a linguagem comunica com os dias de hoje. Como o próprio Eugene Peterson diz, essa é uma Bíblia de leitura e eu concordo.

Mas quantas coisas preciosas tenho aprendido com essa linguagem no meu dia a dia. Percebi por exemplo que Jesus fala muito sobre generosidade e já escrevi algumas vezes sobre isso, baseado no livro de Lucas. Agora quero compartilhar as vezes que somos ensinados sobre generosidade em Mateus, especificamente nos capítulos que chamamos “Sermão do Monte”.

Mateus 5:13-16: texto fala sobre sermos sal da terra e luz do mundo. No fim do texto, no versículos 16 a generosidade aparece no versículo 16 quando somos orientados a manter nossa casa aberta e compartilhar o que temos e principalmente sermos acessíveis.

” Agora que estão no alto do morro, onde todos conseguem enxergá-los, tratem de brilhar! Mantenham sua casa aberta. Que a generosidade seja a marca da vida de vocês. Mostrando-se acessíveis aos outros, vocês motivarão as pessoas a se aproximar de Deus, o generoso Pai do céu”. (Mateus 5:15-16 A Mensagem)

Mateus 5:38-48: sobre amar os inimigos. Não pagar com a mesma moeda, usar a generosidade para dar o que não merecem.

“Vocês conhecem a antiga lei: Amem seus amigos’, e seu complemento não escrito: ‘Odeiem seus inimigos’. Quero redefinir isso. Digo que vocês devem amar os inimigos. Deixem que tirem o melhor de vocês, não o pior.” (Mateus 5:42 A Mensagem)

“Se tudo que vocês fazem é amar apenas quem é amável, que recompensa esperam receber? Qualquer um pode fazer isso. Querem uma medalha por cumprimentar apenas os que são simpáticos com vocês? Qualquer pecador desqualificado age assim. “Resumindo, o que quero dizer é: cresçam) Vocês são súditos do Reino; tratem de viver como tais. Assumam sua identidade, criada por Deus. Sejam generosos uns para com os outros, pois Deus age assim com vocês”. (Mateus 5:47-48)

Mateus 6:1-4: Sobre fazer o bem. Ser generoso sem chamar a atenção para si, porque generosidade não é sobre você!

“Quando fizerem o bem, tenham o cuidado para que seu gesto não vire peça de teatro. Pode até ser um bom espetáculo, mas Deus não vai aplaudir. Quando for ajudar alguém, não chame atenção para você mesmo. Você já viu gente assim em ação, tenho certeza — eu os chamo atores’. Eles vão orar nas esquinas, como se elas fossem palcos, atuando para o público, interpretando para as multidões. Eles recebem aplausos, sim, mas é tudo que conseguirão. Quando você ajudar alguém, não pense na impressão que vai causar. Apenas ajude — com simplicidade e discrição. É assim que Deus, que o criou com todo amor, faz. Ele age nos bastidores para ajudar você” (Mateus 6:1-4 A Mensagem)

Mateus 6:19-34: Sobre não se preocupar com o amanhã. Jesus aconselha a não acumularmos tesouros, ao invés disso ele diz:

“Se Deus dá tanta atenção à aparência das flores do campo — e muitas delas nem mesmo são vistas —, não acham que ele irá cuidar de vocês, ter prazer em vocês e fazer o melhor por vocês? Quero convencê-los a relaxar, a não se preocuparem tanto em adquirir. Em vez disso, prefiram dar, correspondendo, assim, ao cuidado de Deus. Quem não conhece Deus e não sabe como ele trabalha é que se prende a essas coisas, mas vocês conhecem Deus e sabem como ele trabalha. Orientem sua vida de acordo com a realidade, a iniciativa e a provisão de Deus. Não se preocupem com as perdas, e descobrirão que todas as suas necessidades serão satisfeitas.” (Mateus 6:29b-33 A Mensagem) – grifado por mim.

Já percebi que generosidade é uma das pilastras da vida cristã porque ela diz respeito ao outro, ao cuidado com o outro, ao amor ao próximo. Creio que seja uma das maneiras que Deus se manifesta através da nossa vida.

Seja generoso em todos os níveis da sua vida e a promessa que Jesus deixa é que Deus cuidará de cada necessidade que tivermos e isso não tem a ver com dinheiro e sim com vida plena.

Espero que fale com você assim como tem falado comigo.

 

Eclesiastes – sabedoria

“Para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu:
tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou,
tempo de matar e tempo de curar, tempo de derrubar e tempo de construir,
tempo de chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de dançar,
tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las, tempo de abraçar e tempo de se conter,
tempo de procurar e tempo de desistir, tempo de guardar e tempo de lançar fora,
tempo de rasgar e tempo de costurar, tempo de calar e tempo de falar,
tempo de amar e tempo de odiar, tempo de lutar e tempo de viver em paz.”
Eclesiastes 3:1-8

Para tudo há uma ocasião!

“Melhor é ter um punhado com tranqüilidade do que dois punhados à custa de muito esforço e de correr atrás do vento.”
Eclesiastes 4:6

Porque no fim das contas o que importa é não correr atrás do vento.

Termino com o versículo que nos traz discernimento sobre toda a vida.

“Buscai pois em primeiro lugar o Reino de Deus e sua justiças e as demais coisas vos serão acrescentadas”

Prossigo buscando o Reino de Deus e esperando em fé que as demais coisas me sejam acrescentadas.

Sobre chegar atrasado e sentar na janelinha

Hoje o texto de 2 Samuel 6:12-16 chamou minha atenção por que fala sobre pegar o bonde andando e sentar na janelinha.

Esse capítulo fala sobre o dia que Davi buscou a arca da aliança para ficar na “cidade de Davi”, acontece que eles tiveram um imprevisto no meio do caminho e a arca acabou ficando na casa de uma outra pessoa, que segundo a narrativa, foi muitoooo abençoado. Davi sabendo disso, foi buscar a arca para ficar no lugar que ele tinha em mente e aqui começa a narrativa que chamou minha atenção.

Diz que Davi foi buscar essa arca com todo o entusiasmo e festa, o povo que o seguia também davam gritos de alegria ao som de trombetas. Davi pulava e dançava na presença do Eterno. Mical que era uma das esposas de Davi foi acompanhar a chegada da arca pela janela e ficou irritada com a dança e a alegria de Davi.

Quando chegou no lugar designado, Davi adorou a Deus e fez ofertas de paz, em seguida abençoou o povo e foi pra casa para abençoar sua família.

Acontece que antes mesmo dele fazer isso Mical passou um “sabão” em Davi por seu comportamento na frente do povo. E Davi respondeu “Na presença do Eterno, eu danço quanto quiser! Foi ele e não seu pai que me escolheu para ser rei e não há dúvida de que vou dançar para sua Glória”.

Já disse muitas vezes, não tem como não se alegrar na presença do Eterno, não tem como ser o mesmo! A alegria e a expressão corporal, verbal e de adoração fazem parte desse “estar na presença”. Mas muitas vezes somos Mical, decidimos “esperar a arca chegar” e quando ela chega, ao invés de celebrarmos com o povo, reclamamos do comportamento de quem está na presença do Senhor. Fazemos padrões do que é ou não aceito na presença do Deus Todo poderoso.

Quero fazer parte do povo que celebra e não do que assiste e critica e você? Chegar atrasado e sentar na janelinha não dá.