Perspectiva

Hoje ouvi um pequeno trecho de uma entrevista com o Todd White que explica exatamente a perspectiva que enxergo.

A cruz não é a revelação do meu pecado, mas a revelação do meu valor. Só se paga um alto preço por algo que se tem valor. Exemplo, não pagamos 300 mil por um corte de cabelo, mas pagamos por um apartamento. Ou seja, o pagamento revela o valor de algo. Se Jesus teve que pagar um preço tão alto, é porque o meu valor é alto. Deus me quer e Ele escolheu o meu valor!

Por isso declaro o Salmo 18 de Davi como se fosse meu:

“O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus é o meu rochedo, em quem me refugio. Ele é o meu escudo e o poder que me salva, a minha torre alta”

Cristo vive em mim

Marcos 8:33-38

“Aí Jesus chamou a multidão e os discípulos e disse:

— Se alguém quer ser meu seguidor, que esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. 35 Pois quem põe os seus próprios interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa e por causa do evangelho terá a vida verdadeira.36 O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, mas perder a vida verdadeira? 37 Pois não há nada que poderá pagar para ter de volta essa vida. 38 Portanto, se nesta época de incredulidade e maldade alguém tiver vergonha de mim e dos meus ensinamentos, então o Filho do Homem, quando vier na glória do seu Pai com os santos anjos, também terá vergonha dessa pessoa.”

Enquanto conversava com uma pessoa sobre o texto de Marcos 8, pensei como poderia explicar o que significa viver uma vida em Cristo. But first things first, como cristã creio que quando temos um encontro com Jesus as coisas não ficam mais as mesmas, recebemos o Espírito Santo e esse nos capacita a uma nova vida.

Explico assim, imagine que você, por algum motivo, precisou receber uma nova identidade. Já assistiu filmes em que o FBI arruma uma nova identidade para quem precisa ser protegido? Pois é, imagina que você é essa pessoa que recebe tudo novo, uma identidade nova, uma genealogia nova, um lugar novo, uma história nova. Aí eles te proíbem de ter contato com qualquer pessoa ou coisa que te remeta a vida antiga, porque isso pode causar a sua morte. Quem tem que morrer é a vida antiga e não você, essa é a ideia quando alguém recebe proteção.

Com Jesus é a mesma coisa, quando morremos para nós e nascemos para ele, ou seja, quando decidimos ser seus seguidores, significa que viveremos a vida dele, morremos para o pecado e ressuscitamos para a vida. Quando recebemos sua vida, recebemos uma nova identidade, uma nova vida, uma nova filiação, a nossa vida antiga não deve exercer, ou pelo menos não deveria exercer, nenhuma influência sobre nós. Vemos isso no texto de Romanos 6:

“4Assim, quando fomos batizados, fomos sepultados com ele por termos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova. 5Pois, se fomos unidos com ele por uma morte igual à dele, assim também seremos unidos com ele por uma ressurreição igual à dele. 6Pois sabemos que a nossa velha natureza pecadora já foi morta com Cristo na cruz a fim de que o nosso eu pecador fosse morto, e assim não sejamos mais escravos do pecado. 7Pois quem morre fica livre do poder do pecado.” (grifo meu!)

Portanto, se você recebeu uma nova vida, mas vive em função da sua velha vida, algo está errado, muito errado. Devemos buscar a vida e não a morte, buscamos vida quando buscamos Jesus, buscamos a morte quando buscamos satisfazer os nossos próprios desejos. Nossa natureza não é mais o pecado, mas sim a vida, porque Cristo é quem vive em nós, então porque viver em função do eu pecador e não da aliança com Cristo?

Faça a pergunta a si mesmo, quanto tenho visitado minha velha natureza, o quanto isso tem exercido força na minha vida? Peça para que o Espírito Santo se revele a você e que na graça concedida a nós, você receba a liberdade pela qual Jesus te libertou e viva pela vida que ele te deu.

Sobre Mulheres

Sou uma pessoa bem reflexiva e no que diz respeito a alguns assuntos, sou mais ainda. Talvez porque me incomoda a mentalidade que pensamos não ter, mas que temos!

Escutei numa palestra que nosso cérebro é como um iceberg, onde o consciente é aquela parte pequenina e o subconsciente a parte grandona, escondida. O fato é que muitas vezes agimos e reagimos de acordo com a parte escondida. E quanta coisa há ali hein! Normalmente nossas ações dizem aquilo que a gente acha que NÃO pensa.

Quem me conhece sabe que um dos temas que me incomoda é “mulher”, me incomoda tanto que já disse que deveria ter nascido de cueca e não calcinha kkkkkk Isso não tem nada a ver com um desejo oculto de ser homem, mas com um desejo de ser ouvida e ser “relevante” como um homem. Me incomoda mais porque, como igreja, agimos para reforçar como há desigualdade entre homens e mulheres, falamos que pensamos ser iguais, mas agimos de forma contrária. Temos discursos que “provam” essa desigualdade, reafirmamos a maldição de Eva: “…. você vai querer agradar seu marido, mas ele governará você”(Gênesis 2:16b) Ou seja, tratamos a mulher como uma categoria secundária. Mulher é ouvida de faz de conta, pensamos que mulher é boa apenas na cozinha e com crianças. Mas peraí, em Jesus todas essas maldições e toda a separação não foram colocadas na cruz????? A resposta é sim e deveríamos viver como pessoas livres que manifestam o que Jesus nos trouxe. Afinal, Paulo disse que não havia mais categoria escravo/livre, homem/mulher. Isso nos coloca em igualdade.

Como igreja deveríamos ser exemplo para a sociedade de como tratar uma mulher, exemplo de como não subjugar, exemplo de como utilizar o que ela tem que COMPLETA o homem.

Uma chave sem fechadura não tem utilidade, ou pelo menos não se obtém o que ela foi criada para, seu papel não será completo sem a fechadura. O mesmo serve para o homem, ele nunca obterá seu máximo sozinho, ele precisa, se quiser ser o máximo, do que a mulher tem a oferecer (e não to falando sobre cozinha, crianças e lavar cuecas). Homem precisa da visão sensível da mulher, precisa da sua habilidade de pensar e fazer várias coisas ao mesmo tempo, precisa da sua sabedoria, do seu desprendimento, da sua reflexão, entre outras qualidades.

Homens, vocês não tomam melhores decisões e nem são melhores porque são focados. Mulheres, não somos melhores ou temos melhores soluções porque pensamos em mil coisas ao mesmo tempo. Somos iguais e contribuímos quando trabalhamos juntos!

Igreja, vamos acordar e ser o reflexo de Jesus na terra e ser de fato algo em que a sociedade possa se inspirar!

Textos que me inspiraram essa manhã: (os grifos são meus)

“O mesmo vale para vocês, esposas: sejam boas esposas, cada uma para o seu marido, atentas às necessidades deles. Há maridos que, mesmo indiferentes à Palavra de Deus, poderão ser cativados pela vida da beleza santa de vocês. O que importa não é a aparência exterior — o estilo do cabelo, as joias, o corte da roupa —, mas sim sua atitude interior.

Cultivem a beleza interior, do tipo gracioso e gentil que agrada a Deus. As mulheres santas de antigamente eram lindas na presença de Deus desse modo e eram boas e leais aos maridos. Sara, por exemplo, tratava Abraão como “meu querido marido”. Vocês serão verdadeiras filhas de Sara se fizerem o mesmo, sem ansiedade e sem acanhamento

O mesmo vale para vocês, maridos: sejam bons maridos, cada um para a sua esposa. Não deixem de honrá-las nem de se alegrar com elas. Sendo mulheres, elas não têm alguns dos privilégios de vocês. Mas na nova vida sob a graça de Deus vocês são iguais. Portanto, tratem a esposa iguais a vocês, para que suas orações não sejam daquelas que nem passam do teto.” (1Pedro 3:4-7 A Mensagem)

“Fico feliz por saber que vocês continuam a se lembrar de mim e a me honrar, guardando as tradições da fé que ensinei. Toda autoridade verdadeira vem de Cristo. 

No relacionamento conjugal, existe autoridade da parte de Cristo para o marido e da parte do marido para a esposa. A autoridade de Cristo é a autoridade de Deus. Qualquer homem que fala com Deus ou sobre Deus sem respeito pela autoridade de Cristo está desonrando o Senhor. E a esposa que fala com Deus sem respeito para com a autoridade do marido está desonrando seu marido. Pior ainda, está desonrando a si mesma — uma cena lamentável. É como se estivesse com a cabeça rapada. Essa é a origem do costume de a mulher cobrir a cabeça no culto, enquanto o homem tira o chapéu. Com esses atos simbólicos, homens e mulheres, que muitas vezes batem de frente um como outro, submetem sua “cabeça” ao Cabeça: Deus.

A propósito, não valorizem demais as diferenças entre homem e mulher. Nem o homem nem a mulher podem caminhar sozinhos ou reivindicar prioridade. ” (1Coríntios 11:1-10 A Mensagem) 

 

Redenção

Pensando sobre a palavra do Evaristo (meu primo falou na igreja), quando recebemos a redenção há uma explosão dentro de nós e a única coisa que conseguimos fazer é glorificar ao Deus Redentor. Acho que entendi o motivo da minha vida ter explodido em gratidão, fui muitooooo redimida nos últimos anos, por isso me sinto livre, feliz, conectada.

Minha maternidade foi redimida; Meu casamento foi redimido; Meu humor foi redimido; Meu amor foi redimido; Minha liberdade foi redimida; Minha identidade foi redimida

Tantas coisas e ainda assim vivo na expectativa da próxima coisa que Jesus vai redimir e assim minha explosão aumentar cada vez mais.

Trechos Salmos 139: “tua presença é constante em torno de mim. Isso é maravilhoso, embora eu não consiga compreender totalmente”…. “Corpo e alma, sou maravilhosamente formado! Eu te louvo e te adoro – que criação”… “Oh! Que eu me levante de manhã e viva o tempo todo contigo!”