Deus é vivo e criativo

adrian-bonifacio-14787.jpg

Gênesis 1:27: “Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus os criou; homem e mulher os criou”.

Dia desses estava na estrada, sozinha, dirigindo, observando e pensando.

Deus disse que fomos criados a sua imagem e semelhança. Dentre tantas características que Deus tem, a criatividade é uma das que mais me encanta.

Você deve estar se perguntando: “o que a estrada e a criatividade tem a ver com sermos a imagem e semelhança de Deus?”.  Eu respondo.

Deus criou muitas coisas lindas (eu e você inclusive), mas se você observar, tudo o que Deus criou tem vida. Tá, existem coisas inanimadas também, mas 99% das coisas tem vida, além disso Ele cria a partir de coisa alguma, enquanto criamos sempre a partir de algum material. Quando digo vida, é vida mesmo. As cores, as formas, as combinações, a interação com o clima, atmosfera e etc são simplesmente maravilhosos.

Por outro lado, como somos a imagem e semelhança de Deus, também somos criativos. Porém, tudo o que criamos são coisas mortas, lindas, mas mortas! A única coisa que geramos, que tem vida, são nossos filhos e essa, a Bíblia diz que é herança do Senhor!

Ok, mas o que a estrada tem a ver com isso? Imagina, a figura, dois “tapetes” (pistas) em cima da terra, um carro que anda em cima desse tapete, porém algo vivo (nós) dentro dentro desse carro, algo vivo embaixo desse tapete, a terra. Nos misturamos com Deus e sua criação a todo momento. A imagem é linda e entrelaça com o auge da criatividade. Os prédios, os carros, as cidades, nossos adornos são lindos também, mas só tem vida quando nos entrelaçamos com o criador/inventor perfeito.

Moral da história, Deus se revela a humanidade através de sua criatividade, sua criação é viva, porque Ele é um Deus vivo e os céus manifestam isso, as estações do ano manifestam isso.

Faça uma lista das coisas criadas por Deus (pra facilitar leia Gênesis 1) e uma lista com o que o homem cria. Você perceberá que a única coisa que geramos e tem vida é a herança de Deus pra nós, nossos filhos.

Observe mais ao seu redor, reconheça os Senhor em todos as coisas.

Advertisements

Cristo vive em mim

Marcos 8:33-38

“Aí Jesus chamou a multidão e os discípulos e disse:

— Se alguém quer ser meu seguidor, que esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. 35 Pois quem põe os seus próprios interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa e por causa do evangelho terá a vida verdadeira.36 O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, mas perder a vida verdadeira? 37 Pois não há nada que poderá pagar para ter de volta essa vida. 38 Portanto, se nesta época de incredulidade e maldade alguém tiver vergonha de mim e dos meus ensinamentos, então o Filho do Homem, quando vier na glória do seu Pai com os santos anjos, também terá vergonha dessa pessoa.”

Enquanto conversava com uma pessoa sobre o texto de Marcos 8, pensei como poderia explicar o que significa viver uma vida em Cristo. But first things first, como cristã creio que quando temos um encontro com Jesus as coisas não ficam mais as mesmas, recebemos o Espírito Santo e esse nos capacita a uma nova vida.

Explico assim, imagine que você, por algum motivo, precisou receber uma nova identidade. Já assistiu filmes em que o FBI arruma uma nova identidade para quem precisa ser protegido? Pois é, imagina que você é essa pessoa que recebe tudo novo, uma identidade nova, uma genealogia nova, um lugar novo, uma história nova. Aí eles te proíbem de ter contato com qualquer pessoa ou coisa que te remeta a vida antiga, porque isso pode causar a sua morte. Quem tem que morrer é a vida antiga e não você, essa é a ideia quando alguém recebe proteção.

Com Jesus é a mesma coisa, quando morremos para nós e nascemos para ele, ou seja, quando decidimos ser seus seguidores, significa que viveremos a vida dele, morremos para o pecado e ressuscitamos para a vida. Quando recebemos sua vida, recebemos uma nova identidade, uma nova vida, uma nova filiação, a nossa vida antiga não deve exercer, ou pelo menos não deveria exercer, nenhuma influência sobre nós. Vemos isso no texto de Romanos 6:

“4Assim, quando fomos batizados, fomos sepultados com ele por termos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova. 5Pois, se fomos unidos com ele por uma morte igual à dele, assim também seremos unidos com ele por uma ressurreição igual à dele. 6Pois sabemos que a nossa velha natureza pecadora já foi morta com Cristo na cruz a fim de que o nosso eu pecador fosse morto, e assim não sejamos mais escravos do pecado. 7Pois quem morre fica livre do poder do pecado.” (grifo meu!)

Portanto, se você recebeu uma nova vida, mas vive em função da sua velha vida, algo está errado, muito errado. Devemos buscar a vida e não a morte, buscamos vida quando buscamos Jesus, buscamos a morte quando buscamos satisfazer os nossos próprios desejos. Nossa natureza não é mais o pecado, mas sim a vida, porque Cristo é quem vive em nós, então porque viver em função do eu pecador e não da aliança com Cristo?

Faça a pergunta a si mesmo, quanto tenho visitado minha velha natureza, o quanto isso tem exercido força na minha vida? Peça para que o Espírito Santo se revele a você e que na graça concedida a nós, você receba a liberdade pela qual Jesus te libertou e viva pela vida que ele te deu.

Sobre chegar atrasado e sentar na janelinha

Hoje o texto de 2 Samuel 6:12-16 chamou minha atenção por que fala sobre pegar o bonde andando e sentar na janelinha.

Esse capítulo fala sobre o dia que Davi buscou a arca da aliança para ficar na “cidade de Davi”, acontece que eles tiveram um imprevisto no meio do caminho e a arca acabou ficando na casa de uma outra pessoa, que segundo a narrativa, foi muitoooo abençoado. Davi sabendo disso, foi buscar a arca para ficar no lugar que ele tinha em mente e aqui começa a narrativa que chamou minha atenção.

Diz que Davi foi buscar essa arca com todo o entusiasmo e festa, o povo que o seguia também davam gritos de alegria ao som de trombetas. Davi pulava e dançava na presença do Eterno. Mical que era uma das esposas de Davi foi acompanhar a chegada da arca pela janela e ficou irritada com a dança e a alegria de Davi.

Quando chegou no lugar designado, Davi adorou a Deus e fez ofertas de paz, em seguida abençoou o povo e foi pra casa para abençoar sua família.

Acontece que antes mesmo dele fazer isso Mical passou um “sabão” em Davi por seu comportamento na frente do povo. E Davi respondeu “Na presença do Eterno, eu danço quanto quiser! Foi ele e não seu pai que me escolheu para ser rei e não há dúvida de que vou dançar para sua Glória”.

Já disse muitas vezes, não tem como não se alegrar na presença do Eterno, não tem como ser o mesmo! A alegria e a expressão corporal, verbal e de adoração fazem parte desse “estar na presença”. Mas muitas vezes somos Mical, decidimos “esperar a arca chegar” e quando ela chega, ao invés de celebrarmos com o povo, reclamamos do comportamento de quem está na presença do Senhor. Fazemos padrões do que é ou não aceito na presença do Deus Todo poderoso.

Quero fazer parte do povo que celebra e não do que assiste e critica e você? Chegar atrasado e sentar na janelinha não dá.

Vulnerabilidade

Vivo numa sociedade cheia de opiniões. A maioria “sabe” o que é melhor pra ela, para o Joaquim, para a Maria, para o João e para todo o planeta. Opiniões, opiniões e mais opiniões. Nossa, cansei de tanta opinião hahahahaha.

Mas no que diz respeito a cidadania que sirvo (cidadania do céu), só existe uma opinião e a opinião é essa “Deus que é o criador de tudo pode determinar o que é moralmente correto e tem a liberdade de estabelecer limites para nossa conduta  e isso choca nossa cultura arrogante”. Enquanto nos debatemos e nos matamos por opiniões, Jesus fala:

“Abençoados são vocês, quando nada têm para oferecer. Quando vocês saem de cena, há mais de Deus e do seu governo”

“Abençoados são vocês, quando sentem fome de verdade. Ele é comida e bebida – é alimento incomparável”

“Abençoados são vocês, que sofrem por terem perdido o que mais amavam. Só assim poderão ser abraçados por aquele que é a fonte de toda a alegria”

(Mateus 6:20-21)

Depois de anos, Paulo diz “Como resumir tudo isso? Todos os que não pareciam interessados no que Deus estava fazendo, na verdade abraçaram o que Deus fazia quando ele endireitou a vida deles. E Israel, que parecia tão interessado em ler e falar sobre o que Deus estava fazendo, distanciou-se de Deus. Como puderam se distanciar? Porque em vez de confiar em Deus, eles assumiram o controle. Estavam envolvidos no que eles mesmos faziam, tão envolvidos nos seus “projetos de Deus” que não perceberam Deus à sua frente, como uma pedra no meio da estrada” (Romanos 9:30-32)

O que eu tenho aprendido sobre tudo isso? Opinião não nos leva a caminhos direitos, religião traça um caminho paralelo e nos distancia de Deus.

Vulnerabilidade e disponibilidade nos leva a conhecer e experimentar o Criador de Todas as coisas, o Todo-Poderoso. Não encontramos Deus em nossa arrogância ou na nossa lista de opiniões, encontramos Deus em nossa vulnerabilidade, quando ninguém mais pode dar resposta.

Meus encontros mais profundos foram em meio ao caos, não que seja legal o caos, mas ele nos coloca num nível de abertura surpreendente. Encontrei Jesus nos momentos mais difíceis e hoje desfruto de sua companhia. Não vivo mais no caos, mas vivo com aquele que me encontrou no caos.

Aproxime-se de mim

Estava escutando uma música que gosto bastante, que diz (em tradução livre):

“Aproximem-se de mim; Para eu me aproximar de Você; Puxe as cordas do meu coração; Pois eu anseio por responder a você; Fiz um lugar pra vc aqui, então venha; Todas as coisas são possíveis pra você, então venha”

Estava pensando nos momentos de adoração que temos e o que eu tenho pedido. Essa música expressa o desejo do meu coração em cada música que canto. Eu desejo a presença do SENHOR, porque é um lugar tão bom de estar! Minha intimidade com Ele tem me levado a lugares que não imaginava. Todas as vezes quando dirijo a adoração eu fico com um frio na barriga porque não quero que seja fingido, quero, desejo a presença do Deus vivo, eu oro comigo mesma, menos de mim e mais de você e me sinto livre. Livre pra adorar, pra expressar, pra receber e pra dar. Eu desejo que a atmosfera mude, que o Reino venha, que o Espírito flua. Esse é o meu sentimento e meu coração tem queimado. Qual tem sido seu desejo?