Mulher: Flor X Espada

Tenho aprendido muito sobre a mulher, sua origem, verdades abafadas pelo pecado. Especialmente com essa “briga” entre sexos, feminismo versus machismo, onde estamos realmente nesse questão toda? Quem somos de verdade?

De imediato posso dizer que somos flor, mas somos também espada. Jaja você entenderá.

De acordo com a origem, o verbo utilizado na criação da mulher significa “construir de acordo com um propósito”.

Primeira coisa muito importante, foi DEUS quem identificou que não era bom que o homem vivesse só (Genesis 2:18). O homem não tinha percebido e nem tinha observado os “casais” de animais. Temos a tendência de dar uma conotação sexual na decisão de Deus criar a mulher e quando fazemos isso reduzimos e MUITO seu papel. Não fomos criadas para um propósito sexual, embora o sexo faça parte. O comando de ser frutífero, multiplicar e subjugar a terra foi dado aos dois, homem e mulher, colocando assim a importância dos dois com mesmo peso e medida (Genesis 1:27-31). Cada um com seu papel! Mulher não é homem e se entendermos nosso chamado espiritual, essa besteira de competição vai por água a baixo. Não tem melhor ou pior, mais ou menos importante.

No hebraico o “estar sozinho”simboliza desordem e Deus identificou que de alguma forma havia uma “desordem” no fato do homem estar sozinho.

Mas vamos a FLOR e a ESPADA. A palavra utilizada para descrever a mulher é Ézer Kenegdo (ajudadora idônea), a primeira significa AJUDA e a outra, OPOSIÇÃO. Mais ou menos assim, no caso do homem ser JUSTO e ABENÇOADO, ela ajuda/apoia, se ele é FRACO e INJUSTO, ela se opõe. Talvez devêssemos entender qual o papel do homem para julgar o que é ser justo/injusto ou fraco e resumindo o homem foi chamado a lembrar e obedecer as instruções de Deus, expressar adoração no que faz (trabalho). A mulher é aquela que o ajuda nessa missão de lembrar para que ele possa obedecer, cria um ambiente seguro para que ele possa expressar a adoração onde quer que esteja ou no que quer que faça.

Como Flor é aquela que lembra e o apoia a exercer seu chamado diante de Deus.

Como Espada se opõe, traça limites para que ele volte e desenvolva seu chamado de acordo com o que Deus propôs pra ele.

Ser uma mulher que apenas fala “sim, senhor” para seu marido não o ajuda em sua missão. Ajuda e oposição estão diretamente ligados ao seu propósito de ser aquela que “foi construída com um propósito”. Somos fortes por natureza, protegemos por natureza, somos guerreiras por natureza, uma natureza que Deus, nosso criador nos deu.

Leia provérbios 31 e identifique-se naquela mulher, uma mulher que descreve essas qualidades que falei acima, ela não é utópica. Ela trabalha, cuida para que tudo esteja em ordem (no sentido literal), não deixa faltar nada, etc etc etc

Somos resgatadas por Jesus, redimidas em seu sangue, tire os entulhos que atrapalha enxergar quem você realmente é diante de Deus.

No próximo post vou descrever algumas distorções que o pecado trouxe na queda e que tem feito a mulher usar de forma equivocada o dom que Deus deu.

Referências: Gênesis 1:27-31; Gênesis 2:18; Provérbio 31.

Advertisements

20 Anos de Casado

No dia 4 de outubro de 2016, eu e meu marido completamos 20 anos de casados, eu disse 20 anos!!!!
Nesses anos, enquanto andávamos pelo caminho, aprendi muitas coisas, dentre elas as básicas, como ser mãe, esposa e eu mesma!
Quem nos conhece há tempos, pode nos olhar com desconfiança porque a trajetória de fato não foi fácil, mas os que nos conheceram nos dias atuais podem nos olhar quase que com olhar de contos de fadas rsrsrs Nem um e nem outro, acredite!
Mas nesse processo chamado 20 anos, enquanto muitas vezes achava que Deus tinha puxado meu tapete, aprendi que no silêncio e na resiliência o Pai chega mais perto. Em muitos momentos, mesmo desconfiando de mim mesma e do amor de Deus, fiz o que Ele me pedia e minha recompensa veio. Me encontrei com o Amor do Pai nesse processo e isso me permitiu amar meu marido e a mim mesma além de mim.
Descobri que tudo o que fez e faz parte do meu casamento me treinou para ser quem sou hoje e sabe que eu gosto muito!
Posso falar sobre a precocidade da maternidade, ensinar que para tudo tem seu tempo, apressar só nos faz correr ao invés de caminhar. Hoje Deus me afirma como mãe exemplar, não porque não erro, mas pq sei onde buscar socorro e aprendi que as alianças que fizemos com Deus são reais.
Com as dificuldades e falta de responsabilidade financeira aprendemos que 2+2 são 4 e que se tivemos algo quando não podíamos, hoje que podemos talvez seja tempo de não ter.
Com a quebra da confiança aprendemos a conversar, a nos vulnerabilizar e a reconstruir.
Aprendi sobre generosidade porque meu marido é um exemplo, em tempos em que ele tinha ou mesmo quando não tinha nada a oferecer.
Nessa caminhada toda, nesses 20 anos, nos tornamos outras pessoas, porque encontramos em Deus o amor e a satisfação que buscávamos um no outro. Entendemos quem cada um era. Entendi que para meu marido ser bem sucedido ele precisa de afirmação, encorajamento, admiração, apoio e o reconhecimento da pessoa maravilhosa que Deus projetou. São tantas qualidades!
Aprendi a enxerga-lo sem rótulos e a ama-lo “profeticamente”, de acordo com o que o Pai vê nele.
Vinte anos é muito tempo e ao mesmo tempo, pouco tempo porque queremos viver mais uns par de 20.
Queremos envelhecer como casal, sabendo que somos relevantes e que de alguma forma nossa história inspira outros. Histórias cheia de sucessos e de fracassos.
Nós celebramos essa data e nos renovamos com o compromisso de buscar em Deus a peça que encaixa perfeitamente no quebra cabeça que é viver um relacionamento familiar.
Amo vc amor.
Ro