Sobre o Reino de Deus

Faz semanas que gostaria de escrever algo, mas não estava conseguindo sentar pra isso. Ainda bem, porque estava num processo de aprender na prática como funciona o Reino de Deus. Estava num processo de saber que uma vez que me entrego 100% nesse Reino, ele cria conexões, oportunidades que permitem viver e expressar esse Reino para qual fui chamada a viver.

Hoje, lendo Mateus 20 observei que Jesus fala sobre uma característica do Reino de Deus fazendo um contraponto com o Reino dos homens. Ele diz que os governantes das nações e poderosos dominam sobre o povo e pessoas e que no reino de Deus, aqueles que querem ser importantes ou que são importantes devem ser servos, porque foi o que Jesus fez, veio, serviu e ainda deu a vida por muitos. Em Mateus 25 ele também adverte sobre servir os pequeninos (aqui ele não está falando de crianças e sim dos que necessitam) como se estivesse fazendo pra ele próprio.

Enfim, não vai dar pra escrever tudo o que tenho aprendido sobre a dinâmica do Reino, mas quero falar sobre uma experiência que tive hoje e que expressa, o que acredito ser, conexões do reino para que os pequeninos sejam alcançados.

Resolvi fazer um limpa no meu ateliê, e quando isso acontece, muitas coisas vão pro lixo, outras são reutilizadas e outras doadas. Dentro dessas coisas doadas ofereci, na internet, retalhos de tecido. Num curto espaço de tempo, três pessoas me escreveram, dei preferência para a primeira, que não deu certo. Combinei com a segunda pessoa pra pegar em casa às 14h, ela teve um contra tempo e me ofereci para levar os tecidos em sua casa. Fui até lá! Pra minha surpresa os tecidos seriam utilizados para fazer colcha e coberta para pessoas que não tem como comprar. Fiquei tão feliz! Logo me veio em mente, isso são conexões do Reino. Uma vez que nos colocamos disponíveis para sermos usados como instrumento de expansão, Deus leva isso a sério e pessoas que nunca imaginaria conhecer, conheço, pessoas que nunca pensaria atingir, atinjo. Muitas coisas aconteceram nesse pequeno espaço de tempo entre resolver doar e efetivar a doação, primeiro a empatia imediata com a segunda pessoa interessada, o fato do carro dela quebrar e não poder vir até mim, eu mesma decidir levar depois de ter cogitado enviar meu filho. Uma apreensão sobre qual o destino de um descarte que pra mim era inútil, mas que sabia ser útil.

Talvez você esteja lendo e achando tudo isso uma feliz coincidência, mas para aqueles que decidem viver sua vida num Reino de paz, abundância e amor, coincidências não existem.

Que Deus abençoe abundantemente essa mulher e sua avó pelo trabalho que fazem.

Quanto a mim, que Deus continue me dando conexões do seu reino para que muitos sejam servidos através da minha vida. Estou feliz por ter saído de casa e ter encontrado pessoas referência de generosidade e amor ao próximo.

Deus é bom!

Perspectiva

Hoje ouvi um pequeno trecho de uma entrevista com o Todd White que explica exatamente a perspectiva que enxergo.

A cruz não é a revelação do meu pecado, mas a revelação do meu valor. Só se paga um alto preço por algo que se tem valor. Exemplo, não pagamos 300 mil por um corte de cabelo, mas pagamos por um apartamento. Ou seja, o pagamento revela o valor de algo. Se Jesus teve que pagar um preço tão alto, é porque o meu valor é alto. Deus me quer e Ele escolheu o meu valor!

Por isso declaro o Salmo 18 de Davi como se fosse meu:

“O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus é o meu rochedo, em quem me refugio. Ele é o meu escudo e o poder que me salva, a minha torre alta”

Sobre Mulheres

Sou uma pessoa bem reflexiva e no que diz respeito a alguns assuntos, sou mais ainda. Talvez porque me incomoda a mentalidade que pensamos não ter, mas que temos!

Escutei numa palestra que nosso cérebro é como um iceberg, onde o consciente é aquela parte pequenina e o subconsciente a parte grandona, escondida. O fato é que muitas vezes agimos e reagimos de acordo com a parte escondida. E quanta coisa há ali hein! Normalmente nossas ações dizem aquilo que a gente acha que NÃO pensa.

Quem me conhece sabe que um dos temas que me incomoda é “mulher”, me incomoda tanto que já disse que deveria ter nascido de cueca e não calcinha kkkkkk Isso não tem nada a ver com um desejo oculto de ser homem, mas com um desejo de ser ouvida e ser “relevante” como um homem. Me incomoda mais porque, como igreja, agimos para reforçar como há desigualdade entre homens e mulheres, falamos que pensamos ser iguais, mas agimos de forma contrária. Temos discursos que “provam” essa desigualdade, reafirmamos a maldição de Eva: “…. você vai querer agradar seu marido, mas ele governará você”(Gênesis 2:16b) Ou seja, tratamos a mulher como uma categoria secundária. Mulher é ouvida de faz de conta, pensamos que mulher é boa apenas na cozinha e com crianças. Mas peraí, em Jesus todas essas maldições e toda a separação não foram colocadas na cruz????? A resposta é sim e deveríamos viver como pessoas livres que manifestam o que Jesus nos trouxe. Afinal, Paulo disse que não havia mais categoria escravo/livre, homem/mulher. Isso nos coloca em igualdade.

Como igreja deveríamos ser exemplo para a sociedade de como tratar uma mulher, exemplo de como não subjugar, exemplo de como utilizar o que ela tem que COMPLETA o homem.

Uma chave sem fechadura não tem utilidade, ou pelo menos não se obtém o que ela foi criada para, seu papel não será completo sem a fechadura. O mesmo serve para o homem, ele nunca obterá seu máximo sozinho, ele precisa, se quiser ser o máximo, do que a mulher tem a oferecer (e não to falando sobre cozinha, crianças e lavar cuecas). Homem precisa da visão sensível da mulher, precisa da sua habilidade de pensar e fazer várias coisas ao mesmo tempo, precisa da sua sabedoria, do seu desprendimento, da sua reflexão, entre outras qualidades.

Homens, vocês não tomam melhores decisões e nem são melhores porque são focados. Mulheres, não somos melhores ou temos melhores soluções porque pensamos em mil coisas ao mesmo tempo. Somos iguais e contribuímos quando trabalhamos juntos!

Igreja, vamos acordar e ser o reflexo de Jesus na terra e ser de fato algo em que a sociedade possa se inspirar!

Textos que me inspiraram essa manhã: (os grifos são meus)

“O mesmo vale para vocês, esposas: sejam boas esposas, cada uma para o seu marido, atentas às necessidades deles. Há maridos que, mesmo indiferentes à Palavra de Deus, poderão ser cativados pela vida da beleza santa de vocês. O que importa não é a aparência exterior — o estilo do cabelo, as joias, o corte da roupa —, mas sim sua atitude interior.

Cultivem a beleza interior, do tipo gracioso e gentil que agrada a Deus. As mulheres santas de antigamente eram lindas na presença de Deus desse modo e eram boas e leais aos maridos. Sara, por exemplo, tratava Abraão como “meu querido marido”. Vocês serão verdadeiras filhas de Sara se fizerem o mesmo, sem ansiedade e sem acanhamento

O mesmo vale para vocês, maridos: sejam bons maridos, cada um para a sua esposa. Não deixem de honrá-las nem de se alegrar com elas. Sendo mulheres, elas não têm alguns dos privilégios de vocês. Mas na nova vida sob a graça de Deus vocês são iguais. Portanto, tratem a esposa iguais a vocês, para que suas orações não sejam daquelas que nem passam do teto.” (1Pedro 3:4-7 A Mensagem)

“Fico feliz por saber que vocês continuam a se lembrar de mim e a me honrar, guardando as tradições da fé que ensinei. Toda autoridade verdadeira vem de Cristo. 

No relacionamento conjugal, existe autoridade da parte de Cristo para o marido e da parte do marido para a esposa. A autoridade de Cristo é a autoridade de Deus. Qualquer homem que fala com Deus ou sobre Deus sem respeito pela autoridade de Cristo está desonrando o Senhor. E a esposa que fala com Deus sem respeito para com a autoridade do marido está desonrando seu marido. Pior ainda, está desonrando a si mesma — uma cena lamentável. É como se estivesse com a cabeça rapada. Essa é a origem do costume de a mulher cobrir a cabeça no culto, enquanto o homem tira o chapéu. Com esses atos simbólicos, homens e mulheres, que muitas vezes batem de frente um como outro, submetem sua “cabeça” ao Cabeça: Deus.

A propósito, não valorizem demais as diferenças entre homem e mulher. Nem o homem nem a mulher podem caminhar sozinhos ou reivindicar prioridade. ” (1Coríntios 11:1-10 A Mensagem) 

 

Vulnerabilidade

Vivo numa sociedade cheia de opiniões. A maioria “sabe” o que é melhor pra ela, para o Joaquim, para a Maria, para o João e para todo o planeta. Opiniões, opiniões e mais opiniões. Nossa, cansei de tanta opinião hahahahaha.

Mas no que diz respeito a cidadania que sirvo (cidadania do céu), só existe uma opinião e a opinião é essa “Deus que é o criador de tudo pode determinar o que é moralmente correto e tem a liberdade de estabelecer limites para nossa conduta  e isso choca nossa cultura arrogante”. Enquanto nos debatemos e nos matamos por opiniões, Jesus fala:

“Abençoados são vocês, quando nada têm para oferecer. Quando vocês saem de cena, há mais de Deus e do seu governo”

“Abençoados são vocês, quando sentem fome de verdade. Ele é comida e bebida – é alimento incomparável”

“Abençoados são vocês, que sofrem por terem perdido o que mais amavam. Só assim poderão ser abraçados por aquele que é a fonte de toda a alegria”

(Mateus 6:20-21)

Depois de anos, Paulo diz “Como resumir tudo isso? Todos os que não pareciam interessados no que Deus estava fazendo, na verdade abraçaram o que Deus fazia quando ele endireitou a vida deles. E Israel, que parecia tão interessado em ler e falar sobre o que Deus estava fazendo, distanciou-se de Deus. Como puderam se distanciar? Porque em vez de confiar em Deus, eles assumiram o controle. Estavam envolvidos no que eles mesmos faziam, tão envolvidos nos seus “projetos de Deus” que não perceberam Deus à sua frente, como uma pedra no meio da estrada” (Romanos 9:30-32)

O que eu tenho aprendido sobre tudo isso? Opinião não nos leva a caminhos direitos, religião traça um caminho paralelo e nos distancia de Deus.

Vulnerabilidade e disponibilidade nos leva a conhecer e experimentar o Criador de Todas as coisas, o Todo-Poderoso. Não encontramos Deus em nossa arrogância ou na nossa lista de opiniões, encontramos Deus em nossa vulnerabilidade, quando ninguém mais pode dar resposta.

Meus encontros mais profundos foram em meio ao caos, não que seja legal o caos, mas ele nos coloca num nível de abertura surpreendente. Encontrei Jesus nos momentos mais difíceis e hoje desfruto de sua companhia. Não vivo mais no caos, mas vivo com aquele que me encontrou no caos.

Como eu vos amei

Há um tempo tenho pensado sobre “amar a Deus sobre todas as coisas e a meu próximo como a mim mesmo”e também sobre quando Jesus fala que devemos amar como ele amou… Como assim né? Soa muito religioso quando não coloco isso num nível prático ou então pensava em pessoas que não são cristãs e que servem ao próximo e tem amor pelo próximo. Aí o que Deus grifou como um marca texto foi a parte “como Jesus amou”. Não tenho dúvidas que hoje muitas pessoas fazem caridade e ajudam o próximo, se compadecem, se doam, mas Deus me revelou um outro nível. Essa parte temos que fazer e vamos dizer que é a parte fácil, a parte difícil é servir, amar, perdoar os difíceis, os que nos magoam, os que pisam no nosso calo e que nos apunhalam pelas costas. Servir, orar, amar, respeitar pessoas que não gostamos e que nos tiram proveito. Por favor, se você entende isso, como um exercício de amor, pare de maldizer pessoas, pare de reclamar do próximo, de achar defeito no outro. Quando tiver com muita raiva, abençoe! Ontem aconteceu comigo e compartilhei com meu trio parceiro de oração, fiquei meio irritada com uma situação e já tinha tudo esquematizado na cabeça sobre como reagiria aí, fui ler a Bíblia e por um acaso abri numa página toda grifada e me perguntei “o que será que está falando que está tudo grifado?”(eu falo comigo mesma rss), resolvi ler e “guess what”, fiquei envergonhada! Olha o que dizia o texto que está em 1Pedro 3:

“Resumindo: sejam agradáveis, simpáticos, amáveis, compassivos, humildes. Isso vale para todos, sem exceção. Nada de retaliação. Nada de língua afiada para o sarcasmo. Em vez disso, abençoem, que é a obrigação de vocês. Assim, serão uma bênção e também receberão bênçãos. Quem quer abraçar a vida e ver dias cheios de bem, Eis o que tem de fazer: não diga nada maldoso ou capaz de ferir; Despreze o mal e cultive o bem; persiga a paz com todo empenho. Deus aprova tudo isso, ouvindo e respondendo bem ao que é pedido; Mas volta as costas para os que fazem o mal.”

Ou seja, amar qualquer um ama, ajudar velhinha, criança, cachorro, qualquer um faz, mas amar quem nos fere, ah isso é difícil e só aquele que é o próprio amor pode fazê-lo, Jesus, aquele que foi e deixou seu Espírito para habitar em nós e nos capacitar a ser e viver como ele. Reflita sobre isso e demonstre o amor “como eu os amei”, pois é nisso que reconhecerão que somos discípulos de Jesus.